Já faz algum tempo que pessoas famosas _ as chamadas ‘celebridades’ _ têm procurado capitalizar sua fama investindo em áreas bem diferentes daquelas que as tornaram famosas.

Por isso, é comum vermos a beldade da vez (modelo ou atriz) cedendo seu nome para uma empresa que comercializa perfumes, batons ou roupas; jogadores de futebol vendendo artigos esportivos com seus nomes e por aí afora.

Atualmente também temos visto celebridades que emprestam seus nomes e imagens para, por exemplo, escolas de futebol, clínicas de beleza, confecções, entre outros  negócios.

No Brasil vários famosos e famosas têm emprestado suas imagens e todo o simbolismo presentes nelas (beleza, talento, simpatia etc.) para alavancar qualquer tipo de negócio, eis algumas delas: as apresentadoras de TV Ana Hickmann e Xuxa Meneghel; o tenista Gustavo Kuerten; o técnico da seleção feminina de vôlei, Bernardinho; as atrizes Giovanna Antonelli e Juliana Paes, o ex-jogador de futebol Ronaldo; o chef Henrique Fogaça, entre outros.

Mas será que ter o nome de um famoso ou famosa em uma marca pode ajudar a atrair mais clientes?No caso de uma franquia, por exemplo, ter uma atriz global como ‘modelo’ de campanhas e publicidade, pode ajudar? Nem sempre.

Para o especialista em franquias, Marcus Rizzo, em entrevista à revista Exame: “Diversas redes ligadas a celebridades não deram certo. O modelo de negócio não é um sucesso garantido.”

Assim, fica claro que mais importante do que ter uma celebridade como chamariz daquela marca, é necessário que o empresário conheça a fundo o plano de negócios de sua franquia e possa contar com o apoio constante do franqueador.

Em relação às franquias ligadas às celebridades, veja abaixo informações sobre algumas delas (os dados são da revista Exame em fevereiro de 2017):

Ronaldo Academy (do jogador Ronaldo, conhecido como ‘fenômeno’)

Investimento inicial: De R$ 150 mil a R$ 500 mil (inclui taxa de franquia, enxoval de materiais e capital de giro)
Estado sede: São Paulo
Segmento de atuação: Esportes e recreação
Tipo de negócio: Academia de futebol
Fundação: 2015
Prazo de retorno: De 18 a 26 meses

Escolinha Guga do ex-tenista Guga Kuerten

Investimento inicial: R$ 70 mil (R$30 mil de taxa de filiação, R$ 40 mil para aquisição de materiais, sistema de gestão, vestuário, campanha de lançamento e ambientação)
Estado sede: Santa Catarina
Segmento de atuação: Esporte
Tipo de negócio: Escola de tênis
Fundação: 2010
Prazo de retorno: De 12 a 20 meses

Giolaser – franquia de clínica depilatória relacionada à atriz Giovanna Antonelli

Investimento inicial: A partir de R$ 392 mil
Estado sede: Rio de Janeiro
Segmento de atuação: Saúde, beleza e bem-estar
Tipo de negócio: Clinica de depilação a laser e estética
Fundação: 2013
Prazo de retorno: De 10 a 25 meses

Ana Hickmann

Ana Hickmann – ex-modelo e apresentadora de TV que atua no segmento de roupas e acessórios que levam seu nome

Investimento inicial: A partir de R$ 450 mil
Estado sede: São Paulo
Segmento de atuação: Vestuário, moda e acessórios
Tipo de negócio: Loja de roupas e acessórios femininos
Fundação: 2016
Prazo de retorno: De 24 a 36 meses

Espaço Juliana Paes

Investimento inicial: R$ 450 mil
Estado sede: Rio de Janeiro
Segmento de atuação: Saúde, beleza e bem-estar
Tipo de negócio: Clinica de estética
Fundação: 2008
Prazo de retorno: De 28 a 36 meses

Escola de Vôlei Bernardinho

Bernardinho: técnico de vôlei traz ensinamentos sobre o sucesso

Investimento inicial: A partir de R$ 30 mil
Estado sede: Rio de Janeiro
Segmento de atuação: Esporte
Tipo de negócio: Escola de Vôlei
Fundação: 2007
Prazo de retorno: Não informa

WhatsApp B3S
Enviar